Vasco da Gama

Navegador português

Biografia de Vasco da Gama

Vasco da Gama (1469-1524) foi um navegador português, comandante da grande expedição que partiu de Lisboa e abriu o novo caminho marítimo para a Índia, importante centro produtor de especiarias, tecidos e pedras preciosas.

Vasco da Gama nasceu em Sines, cidade portuguesa da região do Alentejo, Portugal, provavelmente no ano de 1469. Era filho ilegítimo do navegante Estevão da Gama, casado com Dona Maria Isabel Sodré.

Contexto histórico

O intercâmbio comercial com a Índia era muito importante para os europeus, não só pelas especiarias, mas também pelos tecidos e pedras preciosas.

As vias de aceso eram cada vez mais precárias: no Mediterrâneo, havia os piratas árabes, no Egito a segurança das caravanas estava ameaçada, na Ásia Menor os turcos-mulçumanos eram hostis com os cristãos.

A expansão marítima e comercial portuguesa começou em 1415, no reinado de D. João I, quando as tropas portuguesas tomaram Ceuta (atual Marrocos), no Norte da África.

Três anos depois ocuparam o arquipélago da Madeira. Nessa época, navegadores de várias nacionalidades trabalhavam para o governo de Lisboa, por causa do empenho do Infante D. Henrique (1394-1460).

O Infante, já apelidado de “navegador”, continuou incentivando as expedições. Em 1416 fundou, no litoral sul do país, a Escola de Sagres, onde se reuniam matemáticos, cartógrafos navegadores e estudantes.

Diversas expedições partiram para reconhecimento da costa africana. Em 1454, o Papa Nicolau V reconheceu os direitos portugueses sobre todas as terras e riquezas descobertas.

Em 1460 morre o Infante D. Henrique e há uma trégua nas viagens para novas descobertas.

Infância e juventude

Nascido por volta de 1469 e vivendo com a família junto ao porto de Algarves, Vasco da Gama passou a infância num ambiente de marinheiros e viagens.

Em 1481, quando D. João II sobe ao trono, reabre a atividade em busca de novas descobertas.

Nessa época, Vasco da Gama estava com doze anos. Ao completar 18 anos, já estava iniciado na arte da navegação, já atravessara o Mediterrâneo e visitara a cidade de Tânger, no Marrocos, conquistada pelos portugueses.

Como marujo, era encarregado de policiar os portos portugueses na costa africana e defende-los contra os navios piratas.

Descoberta do caminho marítimo para a Índia

Em 1487, D. João II resolve designar Vasco da Gama para comandar a projetada e sonhada expedição para as Índias.

Em 1488, após Bartolomeu Dias chegar ao cabo da Boa Esperança, no Sul da África., começaram os preparativos para o grande empreendimento naval com o objetivo de descobrir uma rota marítima segura para as Índias.  

Em 1495, D. João II morre em Lisboa, mas D. Manuel, seu sucessor, deu prosseguimento ao projetos..

No dia 8 de julho de 1497 os portugueses iniciam a grande expedição que partiu de Lisboa com quatro caravelas.

A nau “São Gabriel” foi comandada por Vasco da Gama, “São Rafael”, comandada por Paulo da Gama, irmão de Vasco, “Berrio”, entregue a Nicolau Coelho e a quarta, carregada de víveres e munições foi comandada por Gonçalo Nunes.

Ao todo, foram 160 tripulantes sob o comando geral do navegador Vasco da Gama, com apenas 28 anos.

A frota enfrentou intensa calmaria até as ilhas canárias, por onde passou em 15 de julho. Atingiu as ilhas do Cabo Verde após 26 dias de viagem e ali permanecendo durante um mês.

Para evitar as correntes do golfo da Guiné, Vasco da Gama percorreu um caminho circular pelo Atlântico Sul, até atingir a baía de Santa Helena em 7 de novembro.

Após alguns dias à espera de bons ventos, dobrou enfim o cabo da Boa Esperança e chegou na foz do rio dos Bons Sinais, em Zambeze, em 25 de janeiro de 1498, onde fincaram um marco.

A expedição continuou e chegou a Moçambique em 2 de março. Depois de outras paradas, no dia 20 de maio estavam ancorando em Calicute, na Índia, onde fincaram um novo marco.

Os mercadores muçulmanos prepararam uma emboscada para receber os portugueses, mas estes saíram vencedores.

Vasco da Gama entrega ao Samudrim, soberano do Malabar, uma carta do rei de Portugal, em que solicita liberdade de comércio para os lusos.

Estava descoberta a nova rota do comércio que dava acesso direto às riquezas do Oriente, quebrando assim o monopólio dos árabes e venezianos.

Viagem de volta

Em 29 de agosto de 1498, Vasco da Gama empreendeu a viagem de volta, com as embarcações repletas de especiarias, tecidos e pedras preciosas.

Porém, uma epidemia de escorbuto diminuiu drasticamente a tripulação que ficou reduzida a 35 homens. Uma das naus, a São Rafael teve que ser queimada, por ordem do almirante.

Em março de 1499, passaram novamente pelo cabo da Boa Esperança e só atingiu o Tejo em setembro, quando Vasco da Gama entrou em Lisboa sendo recebido triunfalmente. Em 1502, recebeu o título de Almirante do mar da Índia.

Segunda e terceira viagem à Índia

Em 1502 Vasco da Gama realiza uma segunda viagem à Índia, com vinte embarcações e muita gente armada. Por largo tempo fixou o poderio luso na região.

No retorno para Lisboa, recebeu o título de Visconde de Vidigueira.

Em 1524, fez sua terceira viagem à Índia que era desastrosamente governada por Dom Duarte de Menezes. Partiu com o título de vice-rei da Índia.

Logo de início, mandou Dom Duarte e alguns fidalgos de volta para Lisboa e fez grandes reformas políticas.

vasco da gama
Túmulo de Vasco da Gama (Mosteiro dos Jerônimos, Lisboa)

Vasco da Gama faleceu em Cochim, na Índia, no dia 24 de dezembro de 1524. Verdadeiro fundador do poderio colonial de Portugal, suas viagens foram imortalizadas no épico Os Lusíadas, de Luís de Camões.

Veja também as biografias de:

Última atualização: 24/09/2019

Dilva Frazão
Possui bacharelado em Biblioteconomia pela UFPE e é professora do ensino fundamental. Desde 2008 trabalha na redação e revisão de conteúdos educativos para a web.