Hector Babenco

Cineasta argentino, naturalizado brasileiro

Biografia de Hector Babenco

Hector Babenco (1946-2016) foi um cineasta argentino e naturalizado brasileiro. Foi indicado ao Oscar de Melhor Diretor no filme “O Beijo da Mulher Aranha”.

Hector Eduardo Babenco nasceu em Mar del Plata, na Argentina, no dia 7 de fevereiro de 1946. Era filho de descendentes ucranianos e poloneses. Com 19 anos, veio para o Brasil, época em que trabalhou como vendedor.

Apaixonado por cinema, Babenco estreou sua carreira de cineasta com o filme “O Fabuloso Fittipaldi” (1973), um documentário sobre o então campeão da Fórmula 1, que dirigiu em parceria com Roberto Farias.

Em 1975, com 29 anos, iniciou o curso do “cinema marginal”, quando preferiu contar histórias em que o heroísmo reside numa insólita força para sobreviver a circunstâncias adversas.

Foi assim em seu primeiro longa-metragem “O Rei da Noite”, estrelado por Marília Pera e Paulo José, que recebeu o Candango de Melhor Ator no Festival de Brasília.

Foi com seu filme seguinte que Babenco começou a se destacar com o lançamento de “Lúcio Flávio, o Passageiro da Agonia” (1977), protagonizado por Reginaldo Farias. No mesmo ano se naturalizou brasileiro.

O filme recebeu quatro Kikitos de Ouro no Festival de Gramado e foi indicado na categoria de Melhor Filme, foi escolhido como Melhor Filme, pelo Júri Popular, na Mostra Internacional de Cinema de São Paulo.

Em 1980 lançou “Pixote, a Lei do Mais Fraco” e com ele veio a sua consagração e a fase do cinema internacional do cineasta. O filme foi lançado nos Estados Unidos e deu a Marília Pera o Prêmio de Melhor Atriz, dos críticos de Nova Iorque.

O Beijo da Mulher Aranha

Foi com o drama “O Beijo da Mulher Aranha” (1985), adaptado do romance homônimo do argentino Manuel Puig, que Babenco deu o salto que esperava.

Estrelado por Sonia Braga e narrado com voluptuosidade, a história de um preso político (Raul Júlia) e um travesti (William Hurt) que dividem a cela de uma prisão sul-americana, ganhou uma distinção inédita.

Pela primeira vez, uma produção de outra nacionalidade que não a inglesa ou a americana arrebatou diversas indicações ao Oscar, principalmente o de melhor filme, diretor, roteiro adaptado e ator.

William Hurt levou a estatueta e também o prêmio de atuação no Festival de Cannes.

Em 1987, Hector Babenco dirigiu “Ironweed”, drama norte-americano, com roteiro de William Kennedy, filme que deu a Meryl Streep e a Jack Nicholson indicações ao Oscar.

Em 1991 dirigiu “Brincando nos Campos do Senhor”, que tomou meses de filmagens árduas na selva amazônica. Nesse mesmo ano, descobriu que estava com um câncer linfático, e iniciou o tratamento que se prolongou por vários anos.

Em 1998 produziu “Coração Iluminado”, com Xuxa Lopes, sua mulher na época.

Carandiru

O maior sucesso de Babenco se deu com “Carandiru” (2003), que marcou sua volta ao tema da ética da criminalidade. O filme é uma superprodução baseado no Best-seller Estação Carandiru, do médico Dráuzio Varella.

Protagonizado por Luiz Carlos Vasconcelos (médico), conta ainda com Rodrigo Santoro, Milton Gonçalves, Maria Luiza Mendonça, Caio Blat entre outros atores.

O filme conta a história de um médico sanitarista que se oferece para realizar o trabalho de prevenção ao vírus HIV, no Carandiru, o maior presídio da América Latina, durante os anos 90.

O médico passa a conviver diariamente com a dura realidade dos presos e a violência agravada pela superlotação do presídio.

Último filme

Seu último filme “Meu Amigo Hindu” (2015), estrelado por William Dafoe, começa com a seguinte declaração: “O que você vai assistir é uma história que aconteceu comigo e conto da melhor maneira que sei”. Na tela, o que se vê é a luta de um cineasta para vencer um câncer linfático.

hector babenco

A obra é também uma declaração de amor ao cinema – e ao próprio amor. A cena final a mulher de Babenco, Bárbara Paz, nua, dança, como Gene Kelly em Cantando na Chuva.

Ao longo de mais de 40 anos de cinema, Hector Babenco produziu uma obra reconhecida que deixou sua marca no cinema brasileiro.

Hector Babenco faleceu de parada cardíaca, em São Paulo, no dia 13 de julho de 2016.

Última atualização: 11/02/2020

Dilva Frazão
Possui bacharelado em Biblioteconomia pela UFPE e é professora do ensino fundamental. Desde 2008 trabalha na redação e revisão de conteúdos educativos para a web.
Veja também as biografias de:
  • Che Guevara (1928-1967) foi um e guerrilheiro argentino, um dos principais lí...
  • Quino (1932) é um cartunista e humorista argentino, autor das famosas tiras d...
  • José de San Martín (1778-1850) foi um militar argentino, líder dos movimentos...
  • Jorge Luís Borges (1899-1986) foi um poeta, escritor e crítico literário arge...
  • Julio Cortázar (1914-1984) foi um escritor argentino, considerado o mestre do...
  • Lionel Messi (1987) é um jogador de futebol argentino, atacante do time catal...
  • Diego Maradona foi o maior jogador de futebol argentino e entrou para a histó...
  • Glauber Rocha (1939-1981) foi cineasta brasileiro. Um dos responsáveis pelo m...
  • Walter Salles (1956) é cineasta brasileiro. Seus filmes mais famosos são "Cen...
  • Fernando Meirelles (1955) é um cineasta, produtor e roteirista brasileiro. O...