João Câmara

Pintor brasileiro

Biografia de João Câmara

João Câmara (1944) é um pintor, desenhista, artista gráfico e professor brasileiro. Criador de um estilo único, é nas figuras humanas que ele expressa grande parte de sua arte.

João Câmara (1944) nasceu em João Pessoa, Paraíba, no dia 12 de janeiro de 1944. Filho de um paraibano, e de uma pernambucana, em função do trabalho do pai, um funcionário público, sua família se muda para o Rio de Janeiro, onde permanece durante dois anos e meio. Em 1957, vão morar no Recife, quando João ingressa no Colégio Salesiano.

Sua inclinação pelas artes surgiu na infância e em 1959 iniciou o curso da Escola de Belas Artes, onde permaneceu por três anos. Estudou paisagem, natureza morta, figura e história da arte. Nessa época, foi aluno do professor Vicente do Rego Monteiro e de Laerte Baldini. Depois de produzir uma tela abstrata, foi desencorajado por Baldini para seguir esse estilo de arte. Nessa época, as figuras humanas já ocupavam um espaço privilegiado em seus quadros.

Em 1960, ingressou no curso científico do Colégio Nóbrega. Em seguida iniciou o curso de Psicologia da Universidade Católica de Pernambuco, mas nunca exerceu a profissão. Nessa mesma época, fez o curso livre de pintura da Escola de Belas Artes da Universidade Federal de Pernambuco. Em 1963 foi eleito presidente da Sociedade de Arte Moderna do Recife. Nesse mesmo ano, estudou xilografia na Escola de Artes de Salvador.

Em 1965, João Câmara abriu um ateliê em Olinda. Entre 1967 e 1970, lecionou pintura na Escola de Belas Artes da Universidade Federal da Paraíba. Em 1971 adquiriu uma casa em Olinda e a transformou também em ateliê. Em 1974 criou, junto com Delano, a Oficina Guaianases, no bairro de Campo Grande, que reunia artistas para a produção de litogravuras. Com o crescimento, a oficina foi aberta para artistas de diversas orientações estéticas. Em 1979, a oficina mudou-se para o Mercado da Ribeira, em Olinda, passando a realizar cursos, exposições e impressões.

A partir de 1970 começou a trabalhar em séries. A mais volumosa foi a “Cenas da Vida Brasileira”, que começou em 1974 e concluiu em 1976. São 10 painéis de pintura de grandes proporções que estão no Mamam e 100 litografias. Outra série é a “Era Vargas”, com personagens e eventos políticos, uma espécie de rememoração do estado político de quando era menino e Vargas se suicidou. Em 1974, época da ditadura, aborda em suas telas a tortura e a opressão humana, tendo problemas com a censura, teve algumas obras apreendidas.

Entre outras séries destaca-se “Dez Casos de Amor”, que começou em 1977 e concluiu em 1983, que segundo ele “é uma espécie de teorema em quarto fechado, porque são temas amorosos, sobre a pintura tomada como uma relação amorosa”. Em 1986 produziu “O Olho de Meu Pai Sobre a Cidade”, em que faz uma homenagem a seu pai. Em 2001, concluiu a série “As Duas Cidades”, onde o artista retratou paisagens das cidades de Olinda e Recife, mas quase sem figuras.

João Câmara afirma que se interessa mais por literatura do que por outras artes. É associado a um grupo de “nabokovianos” (Vladimir Nabokov), onde troca informações sobre as obras do escritor russo.  Os trabalhos do artista podem ser apreciados e adquiridos em seu casarão (que pertenceu a José Antônio Gonsalves de Mello), localizado no bairro das Graças, no Recife, onde também é sua residência.

Veja também as biografias de:

Última atualização: 14/06/2017