Pedro Américo

Pintor brasileiro

Biografia de Pedro Américo

Pedro Américo (1843-1905) foi um pintor brasileiro. Um dos mais importantes pintores da nossa história. É o autor da tela "O Grito do Ipiranga", uma encomenda da família real, para fazer parte do acervo do Museu do Ipiranga. É de sua autoria também as telas "Batalha do Avaí", "Paz e Concórdia", "Batalha do Campo Grande", entre outras. É Patrono da cadeira nº. 24 da Academia Paraibana de Letras.

Pedro Américo de Figueiredo e Melo nasceu em Areia, Paraíba, no dia 29 de abril de 1843. Filho do violonista Eduardo de Figueiredo e de Feliciana Cirne desde cedo mostrou talento para as artes. Em 1852, foi convidado, como desenhista auxiliar, para acompanhar o naturalista francês Jean Brunet em uma expedição científica pelo Nordeste do Brasil.

Formação

Em 1854, Pedro Américo foi para o Rio de Janeiro, estudar no Colégio Pedro II. Em 1856 ingressou na Academia Imperial de Belas Artes. Recebeu do Imperador D. Pedro II, uma bolsa para estudar na Escola Nacional Superior de Belas Artes de Paris, para onde foi em 1859. Foi aluno de Jean-Auguste-Dominique Ingres , um dos maiores pintores do neoclassicismo francês.

Ainda em Paris, estudou no Instituto de Física de Adolphe Ganot, no curso de Arqueologia de Charles Ernest Beulé e bacharelou-se em Ciências Sociais na Sorbonne com a tese “Considerações Filosóficas Sobre as Belas Artes Entre os Antigos”.

Pedro Américo retornou ao Brasil em 1864 e passa a lecionar na Escola de Belas Artes, mas logo volta para a Europa, onde na Universidade de Bruxelas recebeu o título de Doutor em Ciências Físicas e Naturas. Além de produzir várias telas, dedicou-se à poesia, ao romance, e a filosofia.

Em 1869 esteve em Portugal, onde casa-se com Carlota de Araújo Porto Alegre, filha do cônsul brasileiro em Lisboa, seu antigo professor. O casal teve três filhos. 

Entre as obras, do pintor destacam-se: 

A Fala do Trono (1873), também conhecida como Pedro II, é uma representação do imperador na Abertura da Assembleia Geral:

pedro américo
A Fala do Trono

Fausto e Margarida (1875) – obra inspirada na peça Fausto de Goethe. Para a representação, Pedro Américo escolhe o momento de sedução de Margarida por Fausto:

Pedro Américo
Fausto e Margarida (1875)

A Batalha do Avaí, um dos quadros mais famosos de Pedro Américo, encomendado pelo governo brasileiro. A obra, monumental (600 x 1.100 cm), que retrata uma batalha da Guerra do Paraguai, foi iniciada no Brasil e terminada e exposta com sucesso em Florença, em 1877:

pedro américo
A Batalha do Avaí

O Grito do Ipiranga (1888) - Estando em Florença, Itália, Pedro Américo pintou uma de suas obras de maior destaque, Independência ou Morte mais conhecida como O Grito do Ipiranga, que foi encomendada por D. Pedro II, para fazer parte do acervo do Museu Imperial, hoje Museu Paulista.

Pedro Américo
O Grito do Ipiranga (1888)

pedro américo
Tiradentes Esquartejado (1893)

pedro américo
Paz e Concórdia (1902)

Após a proclamação da república, Pedro Américo foi eleito deputado à Assembleia Constituinte (1890), destacando-se pelos projetos que apresentou na área cultural.

Pedro Américo de Figueiredo Melo faleceu em Florença, Itália, no dia 7 de novembro de 1905.

Obras de Pedro Américo

  • Batalha do Campo Grande, 1871 (Museu Imperial do Rio)
  • A Fala do Trono, 1873 (Museu Imperial do Rio)
  • Fausto e Margarida, 1875 (Pinacoteca do Estado de São Paulo)
  • Batalha do Avaí, 1877 (Museu Nacional de Belas Arte)
  • Davi e Abisag, 1879 (Museu Nacional de Belas Artes)
  • Moisés e Jocabed, 1884 (Museu Nacional de Belas Artes)
  • O Grito do Ipiranga, 1888 (Museu Paulista)
  • Libertação dos Escravos, 1889 (Palácio dos Bandeirantes)
  • Tiradentes Esquartejado, 1893 (Museu Mariano Procópio - Minas)
  • Paz e Concórdia, 1902 (Palácio do Itamarati)
Veja também as biografias de:

Última atualização: 07/05/2019

Dilva Frazão
Possui bacharelado em Biblioteconomia pela UFPE e é professora do ensino fundamental. Desde 2008 trabalha na redação e revisão de conteúdos educativos para a web.