Joaquim Cardoso

Engenheiro e poeta brasileiro

Biografia de Joaquim Cardoso

Joaquim Cardoso (1897-1978) foi engenheiro e poeta brasileiro. Trabalhou com o arquiteto Oscar Niemeyer, realizando cálculos estruturais em diversas obras de Brasília. Poeta ligado ao Pós-Modernismo, teve forte ligação com Manuel Bandeira e João Cabral de Melo Neto.

Joaquim Cardoso (1897-1978) nasceu no bairro do Zumbi, no Recife, no dia 26 de agosto de 1897. Filho do guarda-livros José Antônio Cardoso e Elvira Morena Cardoso. Nono de doze irmãos, em 1909 perdeu seu irmão mais velho, José Maria Morena Cardoso, que foi seu orientador nas primeiras leituras.

Em 1910, a família muda-se para a vizinha cidade de Jaboatão. Iniciou seus estudos no Ginásio Pernambucano, no Recife. As viagens para o Recife aconteciam de trem, o que possibilitava o encontro com futuros amigos da vida literária, entre eles os irmãos Benedito e Honório Monteiro. Tais viagens marcaram suas obras.

Em 1913, edita com Durval Cezar, Oscar Ramos, Eduardo Cunha e os irmãos Benedito e Honório Monteiro, o jornal "O Arrabalde", onde estreia na literatura, com o conto "Astronomia Alegre". Em 1914 publica seus primeiros trabalhos como caricaturista e chargista, nas edições do domingo dos jornais Diário da Tarde e Diário de Pernambuco.

Em 1915 ingressou na Escola Livre de Engenharia de Pernambuco, tendo que interromper os estudos várias vezes, por dificuldade financeira. Levou 15 anos para concluí-lo. Em 1930, finalmente estava formado.

Joaquim Cardoso torna-se professor da Escola de Engenharia, lecionando até o ano de 1939, quando é preso, por medidas repressivas do Estado Novo, após pronunciar discurso em que criticou os procedimentos do governo no campo da engenharia e arquitetura. Foi obrigado a mudar-se para o Rio de janeiro.

Em 1940 começa a trabalhar no Serviço do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional, com o arquiteto Lúcio Costa, o paisagista Burle Marx e o advogado Rodrigo Melo Franco. Durante 12 anos, entre 1942 e 1954, trabalha em parceria com o arquiteto Oscar Niemeyer, realizando os cálculos estruturais do conjunto da Pampulha e de vários edifícios de Brasília, entre eles, o Palácio do Planalto, o Palácio da Alvorada e a Catedral Metropolitana.

Ao lado de Gilberto Freire, Ascenso Ferreira e Vicente do Rego Monteiro, enraizou-se pelas tradições populares do Nordeste, sem desconhecer o que estava acontecendo no Sudeste do país ou na Europa. Seus poemas são plenos de melancolia e introspecção. Mescla traços líricos numa dimensão moderna, sem abraçar o modernismo em sua totalidade.

Joaquim Maria Morena Cardoso faleceu em Olinda, Pernambuco, no dia 4 de novembro de 1978.

Obras de Joaquim Cardoso

A Escultura Folheada
A Tarde Sobe
Alucinação em Branco
Aquarela
Astronomia Alegre
Chuva de Caju
Espumas do Mar
Imagens do Nordeste
Menina
Na Estação
O Relógio
Poema
Recordações de Tramataia
Tarde no Recife
Visão do Último Trem Subindo o Céu

Veja também as biografias de:

Última atualização: 15/11/2012

Possui bacharelado em Biblioteconomia pela UFPE e é professora do ensino fundamental. Desde 2008 trabalha na redação e revisão de conteúdos educativos para a web.