Lênin

Político russo

Biografia de Lênin

Lênin (1870-1924) foi um político revolucionário russo, principal líder da Revolução Russa de 1917 e primeiro presidente da Rússia socialista.

Lênin (1870-1924), pseudônimo de Vladimir Ilitch Ulianov, nasceu em Simbirsk, (atual Ulianovsk), na Rússia, no dia 22 de abril de 1870. Desde a adolescência conviveu com as ideologias políticas de seu irmão Alexandre Uilanov, que integrava a organização “Vontade do Povo”, em São Petersburgo. Em 1887, a organização foi acusada de tentar assassinar o Czar Alexandre III, e Ulianov foi preso e condenado à morte.

Nesse mesmo ano, Lênin mudou-se para a cidade de Kazan, onde ingressou na faculdade de Direito. A partir de 1888, passou a se dedicar ao movimento anti-czarista, que se organizava clandestinamente em São Petersburgo. Nessa época, o regime czarista reprimia todo tipo de oposição. A Ochrama, a “polícia política”, controlava o ensino secundário, as universidades, a imprensa e os tribunais. Milhares de pessoas eram enviadas para o exílio na Sibéria.

Depois de formado adotou a ideologia marxista e começou a estudar os problemas econômicos da Rússia, tomando por base as doutrinas de Marx e Engeles. Em 1895, morando na Suíça, entrou em contato com exilados russos, entre eles o revolucionário e teórico marxista, Plekhanov. Em 1898 fundou o Partido Social Democrata Russo, que tinha por base as ideias de Marx. De volta à Rússia, o partido foi desarticulado pela polícia, Lênin foi preso e viveu exilado na Sibéria durante três anos.

Depois do exílio, Lênin viveu em Londres, Munique, Paris e Genebra, e se aprofundou no estudo das ideias de Marx e Engels, bem como no desenvolvimento de suas próprias teorias sobre a revolução socialista. Em 1901, na Suíça, iniciou a publicação do Iskra “Centelha”, jornal que difundia seus ideais e centralizaria a luta do jovem “Partido Social Democrata Russo” contra o czarismo. O jornal entrava clandestinamente na Rússia.

Em 1903 a tese do partido foi discutida em um congresso realizado em Bruxelas, mas as divergências surgidas levaram a uma divisão dentro do partido. O "Partido Bolchevique", liderado por Lênin, acreditava que as mudanças na Rússia deveriam acontecer através de uma revolução imediata. Já o "Partido Menchevique" acreditava que o processo deveria ser mais moderado e contar com a atuação da burguesia.

Em 1905, eclodiu uma revolução espontânea, sem liderança, que abalou o prestígio do Czar Nicolau II, e serviu como marco inicial para a queda do regime. Após a revolução, Lênin teve novamente que fugir da Rússia. Com o início da Revolução de 1917, Lênin voltou para a Rússia e junto com Trotski, passou a planejar a queda do governo provisório. A promessa de Lênin de “pão, paz e terra” conquistou muitos adeptos da causa Bolcheviques. Depois de tomar o poder em novembro de 1917, Lênin passou a atacar os grupos socialistas rivais usando a polícia secreta como arma e executou o czar deposto, e toda a sua família.

O novo governo enfrentou muitos problemas. Lênin foi forçado a introduzir o “Comunismo de Guerra”. Após uma guerra civil, a fim de evitar o colapso total da economia, instituiu a “Nova Política Econômica” (NEP), que reunia princípios socialistas com elementos capitalistas. Em 1923, depois da reconquista de várias áreas do império czarista, que haviam formado suas próprias repúblicas, foi formalmente criada a “União das Repúblicas Socialistas Soviéticas” (URSS). O Leninismo, a doutrina política e econômica baseada no marxismo e adotada por Lênin, influenciou o Partido Comunista, que se espalhou em várias partes do mundo. Lênin chefiou o governo até sua morte.

Lênin faleceu em Gorki Leninskiye, Rússia, no dia 21 de janeiro de 1924. Seu corpo foi embalsamado e permanece até hoje exposto no Mausoléu da Praça Vermelha, em Moscou.

Biografias Relacionadas

Última atualização: 10/10/2016