Leon Trotsky

Revolucionário comunista

Biografia de Leon Trotsky

Leon Trotsky (1879-1940) foi um revolucionário comunista russo, um dos principais articuladores da Revolução de Outubro de 1917. Foi Comissário da Guerra do primeiro governo soviético e o criador do Exército Vermelho.

Leon Trotsky, pseudônimo de Lev Davidovich Bronstein, nasceu em Ianovka, então Império Russo, atual Ucrânia, no dia 7 de novembro de 1879. Filho de um fazendeiro judeu, com nove anos foi mandado para uma escola judaica em Odessa.

Em 1895, com 16 anos, começou a se interessar pelas revoltas das camadas populares contra o governo centralizador do Czar Nicolau II. Participou das agitações políticas imprimindo e distribuindo panfletos entre os estudantes e os operários.

Em 1897, Leon Trotsky ingressou na Universidade de Odessa, mas logo abandonou o curso. Participou da criação clandestina do “Partido dos Trabalhadores do Sul da Rússia”, de tendência socialista.

Em 1898, na liderança do Partido, foi detido e enviado para uma prisão na Sibéria. Durante os dois anos em que ficou preso, ele estudou a obra “O Capital” do filósofo alemão Karl Marx.

Em 1902, com um passaporte falso em nome de Leon Trotsky, que adotou como pseudônimo revolucionário, ele fugiu da prisão e refugiou-se em Londres, onde se ligou ao “Partido Social Democrata Russo”.

Entre os líderes do partido estava Lenin. Seus ideais eram difundidos pelo jornal Iskra (A Centelha) que entrava clandestinamente na Rússia.

No segundo congresso do “Partido Social Democrata Russo”, realizado em Bruxelas e Londres, em 1903, aliou-se à facção menchevique, que defendia a adoção do socialismo democrático, contra Lenin e os bolcheviques.

As raízes da revolução

Em 1905, no final da guerra contra o Japão, a Rússia estava esfacelada. Trotsky regressou à Rússia e participou ativamente da organização de greves e outros movimentos promovidos pelos Sovietes (conselho) dos Trabalhadores de São Petersburgo.

Detido e enviado novamente para a Sibéria, procurou organizar sua doutrina da “revolução permanente”, baseada na convicção de que a revolução nacional somente poderia consolidar-se como escala de um processo revolucionário mundial se dirigido pela classe operária.

No dia 22 de janeiro de 1905 explodiu o “Domingo Sangrento”, quando uma multidão que se reunia em frente ao Palácio de Inverno de São Petersburgo, pedindo audiência com o czar, foi brutalmente assassinada. Foi o estopim para uma série de revoltas.

Em outubro de 1905, o czar Nicolau II cedeu e permitiu a eleição de uma Duma, ou Parlamento, o que trouxe os reformadores políticos moderados para o lado do governo, conseguindo suprir as revoltas. A Rússia tornava-se assim uma "monarquia constitucional", embora o czar continuasse concentrando grandes poderes.

Em 1907, Trotsky conseguiu fugir e se estabeleceu em Viena, onde se manteve como correspondente nas guerras dos Balcãs de 1912 e 1913.

A Primeira Guerra Mundial (1914-1918) colocou a sociedade russa sob uma enorme pressão. Após três anos de guerra, o exército havia sofrido 8 milhões de baixas e mais de um milhão de homens havia desertado.

No dia 8 de março de 1917, estourou uma revolução em Petrogrado (São Petersburgo até 1914). Sovietes (conselhos) de soldados, trabalhadores e camponeses foram formados por toda a Rússia.

Governo provisório

No dia 15 de março, o czar abdicou e se estabeleceu um governo provisório moderado, presidido pelo príncipe Lvov e tendo como principal ministro Alexander Kerenski.

O governo provisório concedeu anistia geral, permitindo a volta de líderes bolcheviques exilados, entre eles Lenin, que estava na Suíça, que logo começou a planejar a queda do governo provisório.

Trotsky, que viveu na Áustria, na Suíça, na França e nos Estados Unidos, retornou para Rússia em maio de 1917 e assumiu a liderança de uma ala esquerdista dos mencheviques e preparava a revolução socialista, conforme seus planos.

Trotsky infiltrou bolcheviques nos sovietes, criou uma milícia popular, a “Guarda Vermelha”, e assumiu o controle da guarnição militar, instituindo um Comitê Militar Revolucionário.

Em julho, diante de intensas manifestações populares, Lvov se demitiu, Kerenski assumiu a chefia do governo e passou a perseguir os bolchevistas. Estes já contavam com 200 mil partidários.

Diante da iminência de ser preso, Lenin se refugiou na Finlândia. Trotsky, que fracassou na tentativa de tomar o poder, também foi preso.

Em agosto, ainda na prisão, Trotsky ingressou no Partido Bolchevique e foi eleito membro do Comitê Central.

Libertado em setembro, foi eleito presidente do Soviete de Petrogrado e desempenhou papel essencial nas lutas pela tomada do poder como chefe do Comitê Militar Revolucionário.

Revolução de Outubro de 1917

Na noite de 24 para 25 de outubro eclode uma revolução e logo os bolcheviques ocuparam pontos estratégicos de Petrogrado. O encouraçado Aurora bombardeou o Palácio de Inverno. Abandonado pelas tropas, Kerensi fugiu. Os bolcheviques estavam com o controle do governo.

A promessa de Lenin de “pão, paz e terra” conquistou muitos para a causa bolchevique. Depois de tomar o poder em novembro de 1917.

Conforme seu programa, Lênin passou a presidir o Conselho dos Comissários do Povo, formado por bolcheviques. Leon Trotsky ocupou o Comissariado das Relações Exteriores e depois Comissário da Guerra e Josef Stalin, o Comissariado das Nacionalidades. A família do czar foi presa.

Trotsky, lenin e stalin

A Revolução de Outubro na Rússia rapidamente ganhou o mundo. Era o primeiro movimento socialista vitorioso da História.

Em 1918 o Partido Bolchevique estava transformado em Partido Comunista, o primeiro no mundo, sob o nome de “União das Repúblicas Socialistas Soviéticas” criada em 1922.

O novo regime enfrentou três anos de guerras contra os russos “brancos”, contrários ao novo regime, apoiados por países europeus temerosos de que o regime se espalhasse. Nesse mesmo ano, por ordem de Lenin, a família do czar foi executada.

Leon Trotsky passou todo o período da guerra civil num trem blindado, no qual percorria o país e conduzia a luta. Era o preferido de Lenin para sucedê-lo, mas foi afastado por Stalin, que assumiu o poder depois da morte do Lenin, em 1924.

Trotsky e Stálin

Nos primeiros anos de governo, Stálin impôs sacrifícios brutais ao povo russo e as dificuldades internas do sistema se agravaram. No plano político, a primeira crise foi contra Trotsky.

Internacionalista, Trotsky queria a continuação do processo revolucionário, no interior da Rússia e em toda parte, até se aproximar do comunismo imaginado por Marx: um mundo sem classes sociais e sem fronteiras nacionais.

Contra essa orientação pouco realista, Stálin formulou sua teoria do “socialismo em um só país”, e trabalhou pela consolidação do poder do PC e de si mesmo.

Morte

Em 1927, depois de ter sido demitido do Ministério da Guerra, Trotsky foi expulso do Comitê Central do Partido Comunista. Refugiou-se na Turquia. Em seguida foi para a França, Noruega e México (1937), onde continuava a dirigir os seus partidários, os trotskistas.

Dois anos mais tarde, fundou a “Quarta Internacional”, formada por pequenos grupos antiestalinistas.

Foi condenado à revelis como o principal conspirador nos julgamentos dos líderes da oposição comunista realizados em Moscou, de 1936 a 1938, e condenado à morte.

Leon Trotsky foi assassinado em Coyoacán, no México, no dia 21 de agosto de 1940, por um agente de Stalin.

Veja também as biografias de:

Última atualização: 17/02/2020

Dilva Frazão
Possui bacharelado em Biblioteconomia pela UFPE e é professora do ensino fundamental. Desde 2008 trabalha na redação e revisão de conteúdos educativos para a web.