Bento Gonçalves da Silva

Militar e revolucionário brasileiro

Biografia de Bento Gonçalves da Silva

Bento Gonçalves da Silva (1788-1847) foi militar e revolucionário brasileiro. Foi um dos líderes da Guerra dos Farrapos ou Revolução Farroupilha que durou dez anos e pretendia a independência da província do Rio Grande do Sul. Foi eleito Presidente da República Rio-Grandense, pela maioria das câmaras municipais da província.

Bento Gonçalves da Silva (1788-1847) nasceu em Bom Jesus do Triunfo, Rio Grande do Sul, no dia 23 de setembro de 1788. Era o décimo filho do português, criador de gado, Joaquim Gonçalves da Silva e Perpétua Meireles. Passou sua infância na fazenda da avó materna. Aprendeu a ler e escrever com facilidade. Montava com desenvoltura. Trabalhou durante muito tempo na fazenda de seu irmão mais velho.

Em 1811, alista-se na Companhia de Ordenação de D. Diogo de Sousa. Participa da primeira invasão na Província Cisplatina. Mais tarde desligado do serviço, passa a residir em Cerro Largo, no Uruguai, onde prospera com as atividades pastoris e adquire sua fazenda. Em 1814, casa-se com a uruguaia Caetana Garcia, com quem teve oito filhos.

Em 1816, participa da tropa enviada para combater os homens de Artigas que violaram a fronteira do Brasil. Bento é designado capitão de guerrilha. Após três anos de lutas, a Província Cisplatina foi anexada ao Brasil e Bento assume o governo da Vila de Melo.

Bento Gonçalves da Silva, pelos serviços prestados nas guerrilhas, recebe de D.Pedro I o posto de coronel das milícias e é nomeado comandante da fronteira sul do país. Sua destituição desse cargo, durante a regência do Padre Diogo Feijó, é o estopim da Revolução Farroupilha, em 1835. Bento Gonçalves entra em Porto Alegre e derruba o presidente da província, Antônio Fernandes Braga. Com o apoio da população, resiste às primeiras reações legalistas. No mês seguinte enfrenta as tropas regenciais, é derrotado e preso. Mandado para a Bahia, é encarcerado no Forte do Mar.

A Guerra dos Farrapos, ou Revolução Farroupilha, durou dez anos, foi a mais longa guerra civil brasileira. Durante a prisão de Bento Gonçalves, os farroupilhas proclamam a República Rio-Grandense, em 11 de setembro de 1836. No ano seguinte, com a ajuda de liberais baianos, Bento Gonçalves foge do cárcere e volta para o Rio Grande do Sul. É aclamado presidente da República Rio-Grandense, posto no qual se mantém até a derrota final dos revoltosos, em fevereiro de 1845.

Bento Gonçalves da Silva morre em Pedras Brancas, Rio Grande do Sul, no dia 18 de julho de 1847.

Veja também as biografias de:

Última atualização: 12/05/2016

Por Dilva Frazão
Possui bacharel em Biblioteconomia pela UFPE e é professora do ensino fundamental. Desde 2008 trabalha na redação e revisão de conteúdos educativos para a web.