Robespierre

Político e revolucionário francês

Biografia de Robespierre

Robespierre (1758-1794) foi um político, revolucionário radical francês. Deputado na Assembleia Nacional e líder do Clube Jacobino. Popularmente conhecido como o "incorruptível".

Maximilien François Marie Isidore de Robespierre nasceu em Arras, capital do Artois, província de Flandres, na França, no dia 6 de maio de 1758. Sua mãe morreu ao dar a luz à filha Henriqueta.

Robespierre tinha sete anos quando seu pai abandonou a casa, foi então criado pelos avós maternos. Com 12 anos, por boas notas, recebeu uma bolsa para o Colégio Luís, o Grande, em Paris. Em 1778 realizou o sonho de conhece o filósofo Rousseau, que morreu nesse mesmo ano.

Em 1781, depois de se formar em Direito voltou para sua cidade natal. Apesar de descendente de pequena burguesia, detestava o luxo da nobreza.

Defesa dos pobres

Com a advocacia ganhava o suficiente para sustentar a pequena família. Como só defendia causas de gente humilde, continuava tão pobre quanto antes. Agora, porém com muito orgulho, como escreveu em uma carta:

“Existe profissão mais sublime que defender os pobres e oprimidos?”

Nessa época, a França vivia sob o regime absolutista do rei Luís XVI. Em 1788, o rei reconheceu sua falência econômica, pois a nobreza e o clero se recusavam a pagar pelo luxo da coroa.

O rei resolve convocar as eleições para os Estados Gerais a fim de solucionar o problema. Os Estados Gerais constituíam a representação eleita dos três estados: nobres, clero e comuns. 

Maximiliano denunciou as prisões arbitrárias dos devedores e a prepotência e estupidez dos estados privilegiados. Para defendê-lo os amigos apresentaram seu nome como candidato. Em 26 de abril de 1789, Robespierre foi eleito um dos oito deputados do Artois pelo Terceiro Estado.

Informados de que cada estado se reuniria separadamente, votando resoluções por ordem e não por voto nominal de todos os representantes, no dia 17 de junho de 1789, os deputados do Terceiro Estado proclamam a Assembleia Nacional e declaram que quem quisesse poderia unir-se a eles.

Robespierre torna-se voz influente. Enquanto os deputados discutiam leis, a corte tramava uma maneira de liquidar a Assembleia.

A queda da Bastilha

No dia 14 de julho Paris estava em chamas, o povo tomava a velha e execrada prisão da Bastilha, o massacre era geral. A Revolução Francesa estava instalada.

No dia 4 de agosto, a Assembleia votou a abolição dos direitos feudais, e no dia 26 emitiu a “Declaração dos Direitos do Homem e do Cidadão”, um dos documentos fundamentais da história moderna.

No dia 6 de outubro, o povo foi buscar o rei em Versalhes e o obrigou a residir em Paris, “longe das más influências da corte”.

Jacobinos e Girondinos

Em Paris, os “amigos da Constituição” fundam um clube que ficou conhecido como Jacobinos - nome dos primeiros dominicanos instalados em Paris, e Robespierre tornou-se o líder do clube revolucionário que sonhava com a Rpública Francesa.

robespierre

Robespierre defendeu reformas radicais durante a elaboração da constituição, o que lhe trouxe numerosas inimizades, porém, seu zelo extremado pelos ideais revolucionários e seu desinteresse material valeram-lhe o cognome de “Incorruptível”.

Em julho de1791 há uma cisão no partido Jacobino. Duzentos deputados pedem desligamento e fundam uma nova entidade - os “feuillants”, grupo formado pela grande burguesia e a nobreza, fiéis ao rei.

No dia 30 de setembro de 1791 foi decretada a Constituição e encerrada a Assembleia Constituinte e procedendo-se as eleições para a Assembleia Legislativa.

Na nova assembleia, os feuillants eram minoria e os Jacobinos começaram uma longa e dura luta com os poderosos “Girondinos”, que tinham relação com os armadores, banqueiros e negociantes ligados ao comercio internacional, que defendiam a Monarquia Constitucional.

No dia 10 de agosto de 1792 é deflagrada uma insurreição do povo e a monarquia é derrubada. Os jacobinos invadem a velha Comuna (Prefeitura) de Paris, expulsam os antigos funcionários e elegem Robespierre o membro mais influente.

Em janeiro de 1793 os deputados votam a morte do rei: 387 pela execução imediata e 334 pelo adiamento da pena. No dia 21 de janeiro o rei é executado e, os girondinos são derrubados.

Época de "Grande Terror"

No dia 27 de julho desse mesmo ano, Robespierre se integrou a um Comitê de Salvação Pública, com a finalidade de enfrentar a situação de uma guerra. Iniciou-se um período de terror com execuções em larga escala.

Robespierre

Danton e Marat, grandes tribunos da Revolução Francesa, que tentaram bloquear a onda jacobina, aliando-se aos conservadores, foram também executados.

Isso não abalou a popularidade de Robespierre, comprovada quando foi publicamente ovacionado após o atentado que sofreu em maio de 1794. Em junho elegeu-se presidente da Convenção Nacional com 216 dos 220 votos.

Prisão e morte

Robespierre começou a perder o apoio da população que passava privações. Com o “Grande Terror” do verão de 1974 viu a oposição crescer. Na Convenção de 28 de julho, Robespierre foi denunciado como inimigo da liberdade e declarado fora de lei.

Foi destituído de seus poderes, preso e condenado à guilhotina. Robespierre foi o último a ser guilhotinado, antes presenciou a morte de seus companheiros.

Robespierre foi guilhotinado na Praça da Revolução, hoje Praça da Concórdia, em Paris, França, no dia 28 de julho de 1794.

Última atualização: 26/05/2020

Dilva Frazão
Possui bacharelado em Biblioteconomia pela UFPE e é professora do ensino fundamental. Desde 2008 trabalha na redação e revisão de conteúdos educativos para a web.
Veja também as biografias de: