Claude Debussy

Compositor e pianista francês

Biografia de Claude Debussy

Claude Debussy (1862-1918) foi um compositor revolucionário e um pianista francês, mentor e principal criador de um original estilo de música inspirado nos ideais da pintura impressionista.

Claude Achille Debussy nasceu em St. Germain-em-Laye, França, no dia 22 de agosto de 1862. Com nove anos mudou-se com a família para Paris, onde começou a estudar piano, mas não pensava em uma carreira musical. Sua vocação foi descoberta pela pianista Madame Mauté de Fleurville que o preparou para o Conservatório de Paris, onde foi admitido em 1873, com apenas 11 anos de idade.

No Conservatório, adquiriu fama de revolucionário, chamou a atenção dos professores e seu talento chegou aos ouvidos da milionária russa Nadesda von Meck, protetora de Tchaikovsky. Em 1879, aos 17 anos, foi convidado para acompanha-la como pianista de câmara e professor de piano dos seus filhos durante as viagens de verão da família, através da França, Suíça e Itália. Nesta viagem conheceu grandes músicos como Wagner e Liszt.

De volta ao conservatório, Debussy estudou composição para concorrer ao Grande Prêmio de Música de Roma, um dos mais importantes concursos europeus da época. Em 1884 venceu o concurso com a cantata “O Filho Pródigo”. Como prêmio recebeu uma bolsa de estudos em Roma. Durante três anos passados na Villa Médicis, conviveu com a alta sociedade e frequentou a vasta biblioteca da academia, mas não sentiu nenhuma inclinação pelo classicismo romano. Ainda em Roma, iniciou a cantata “La Demoiselle Élue” (1877)

De volta à França em 1887, com novas perspectivas, Debussy passou então a dar mais importância aos acordes isolados, timbres, pausas e ao contraste entre registros. Queria compor com liberdade, fugindo das regras tradicionais. A amizade com poetas simbolistas e parnasianos, dominados por Mallarmé, e a renovação da pintura impressionista foram forças determinantes que impulsionaram o compositor para um caminho artístico original. Com essa nova visão, compôs diversas obras, entre elas, “Deux Arabesques” (1888-1891), “Musique Javanese à Paris” (1889) e “Cinq Poemes Baudelaire” (1889), “Suite Bergamasque” (1890-1905), composta por quatro movimentos: "Prélude", "Menuet", "Clair de Lume" que se tornou um ícone da música erudita, e "Passepied", “Prélude à l’ápres-midi d’um Faune” (1892-1894) e “Quatuor à Cordes em Sol Mineur” (1893).

Em 1899, Claude Debussy casa-se com a costureira Rosalie Texier. O relacionamento durou cinco anos e atravessou um tumultuado divórcio depois que Rosalie tentou se matar ao saber que Debussy tinha outra mulher, a rica e sofisticada Emma Bardac, com quem teve uma filha em 1905. O Reconhecimento de Debussy como compositor só veio em 1902, com a estreia da ópera “Pélleas et Mélisande, em Paris.

Em 1905, Claude Debussy escreveu “La Mer”, em homenagem a sua filha, uma obra prima de orquestração. A fama crescente do músico o levou para Londres (1909), Viena e Budapeste (1910), Turim (1911), Rússia (1913-14) e Holanda e Roma (1914), para dirigir suas próprias composições. Seu último trabalho, a “Sonata para Violino e Piano” (1915) foi executada em maio de 1917, com ele no piano. Em setembro desse mesmo ano, apresentou essa peça na cidade de Saint-Jean-de-Luz, na França, a última vez que se apresentou em público.

Claude Debussy faleceu em Paris, França, no dia 25 de março de 1918, em consequência de um câncer diagnosticado em 1909.

Veja também as biografias de:

Última atualização: 23/02/2018