Jean-Baptiste Debret

Pintor francês

Biografia de Jean-Baptiste Debret

Jean-Baptiste Debret (1768-1848) foi um pintor, desenhista, decorador e professor francês. Integrou a Missão Artística Francesa que D. João VI mandou buscar para fundar e dirigir, no Rio de Janeiro, a nova sede do governo português, uma Escola de Artes e Ofícios.

Jean-Baptiste Debret nasceu em Paris, França, no dia 18 de abril de 1716. Filho de Jacques Debret, funcionário público e estudioso de História Natural e Arte, e primo de Jacques-Louis David, líder do neoclassicismo francês, cresceu em um ambiente envolvido com as artes. Estudou no Lycée Louis-le-Grand. Adolescente, começou a frequentar o ateliê do primo. Com 16 anos vai para Roma, onde o primo expõe no Salão de 1785.  Nesse mesmo ano, ingressa na Ècole Nacionale Supérieure des Beaux-Artes.

Em 1791, Debret é admitido pelo segundo ano no concurso para bolsista em Roma, recebendo o segundo prêmio de pintura com a tela “A Partida de Régulas para Cartago”. Participa seguidamente dos concursos da Academia, até que esta foi fechada em 1793. Abandonou as artes e ocupou o cargo de professor de desenho em escolas técnicas. Entre 1798 e 1805 colaborou com os arquitetos Percier e Fontaine em trabalhos decorativos para edifícios públicos e residências particulares. Em 1799, Debret recebeu o Prêmio de Segunda Classe no Salão da Academia com o quadro “Aristomenes, General dos Messênios”. Continuou pintando e expôs no Salão de 1804.

A partir de 1806, Napoleão encomendou quadros que tivessem como inspiração os fatos da história da qual era o protagonista. Nessa época, Debret expõe “Napoleão Presta Homenagem à Coragem Infeliz”. Pelo trabalho recebe o Prix Décennal, instituído por Napoleão. No Salão de 1808, ao lado de artistas como Gros, Gérard, Guérin e Nicolas Taunay, seu futuro colega na expedição brasileira, expõe a tela “Napoleão Condecora o granadeiro Lazareff em Tilsitt”. A obra registra o momento em que Napoleão entrega sua própria Cruz da Legião de Honra ao soldado russo, para demonstrar a aliança entre os dois países. Debret recebe menção honrosa do Institut de France.  

Debret realiza diversos trabalhos associados à propaganda dos feitos napoleônicos. Em 1814, com Napoleão exilado na ilha de Elba, o salão perde seu principal financiador. Em 1815, enquanto a França atravessa os cem dias com a volta de Napoleão, Debret perde seu único filho e se separa da esposa. Napoleão é novamente exilado e o retorno da monarquia dos Bourbon ao poder prejudicou os artistas associados a Napoleão.

Debret e a Missão Francesa

Durante essa época, Joachim Le Breton, secretário perpétuo da classe de belas artes do Institut de França organiza um grupo de artistas e mestres para instalar no Rio de Janeiro, nova sede do governo português, uma Escola de Artes e Ofício, por solicitação de D. João VI. No dia 26 de março de 1816 a “Missão Francesa” chegava ao Brasil. Em 1817, enquanto esperava a instalação da escola, Debret tomou parte nos preparativos para a chegada da futura imperatriz D. Leopoldina. Em 1818, Debert, Grandean de Montigny e Nicolas Taunay participaram da confecção dos elementos cenográficos de inspiração neoclássica utilizado nos festejos da coroação de D. João VI.

Posteriormente, Debret torna-se o pintor oficial do Primeiro Império. Tomou parte da coroação de D. Pedro I, realizando projetos para a bandeira e brasões do Império, produziu retratos da Família Real e, durante muitos anos exerce a função de cenógrafo do Real Teatro São João. Pintou quadros históricos e gravuras que mostram costumes e tipos humanos do Rio de Janeiro da época.

Em 1826, é finalmente fundada a Academia Imperial de Belas Artes (futura Academia Nacional), que atraiu vários artistas estrangeiros, dentre eles Auguste Taunay e Johan Moritz Rugendas. Em 1829, organiza a exposição “Pintura Histórica da Imperial Academia das Belas Artes”, primeira mostra pública de arte no Brasil, com as pinturas de seus alunos. Debret ficou no Brasil durante 15 anos e, de regresso à França, em 1831, publicou em três volumes sua “Viagem Pitoresca e Histórica ao Brasil”, publicados entre 1834 e 1839.

Jean-Baptiste Debret faleceu em Paris, França, no dia 28 de junho de 1848.

Veja também as biografias de:
  • Claude Monet (1840-1926) foi um pintor francês, considerado um dos mais impor...
  • Henri Matisse (1869-1954) foi um pintor desenhista, gravurista e escultor fra...
  • Paul Gauguin (1848-1903) foi um importante pintor francês, um dos maiores rep...
  • Auguste Renoir (1841-1919) foi um dos mais importantes pintores do impression...
  • Paul Cézanne (1839-1906) foi um pintor pós-impressionista francês. Sua obra r...
  • Eugéne Delacroix (1798-1863) foi um pintor francês romântico que possui, entr...
  • Édouard Manet (1832-1883) foi um pintor francês do século XIX...
  • Fernand Léger (1881-1955) foi um pintor francês, um dos mais destacados pinto...
  • Nicolas Poussin (1594-1665) foi um pintor francês, considerado um dos princip...
  • Leonardo da Vinci (1452-1519) foi um pintor italiano. "Mona Lisa" foi uma das...

Última atualização: 20/10/2017