Príncipe Dom Luiz de Orleans e Bragança

Chefe da Casa Imperial do Brasil

Biografia de Príncipe Dom Luiz de Orleans e Bragança

Príncipe Dom Luiz de Orleans e Bragança (1938) Chefe da Casa Imperial do Brasil. Herdeiro dinástico do Príncipe Dom Pedro Henrique de Orleans e Bragança (1909-1981). Bisneto da Princesa Isabel.

Dom Luiz de Orleans e Bragança (1938-2009) nasceu em Mandelieu, França, no dia 6 de junho de 1938. Filho do Príncipe Dom Pedro Henrique de Orleans e Bragança, neto de Dom Luiz de Orleans e Bragança (1878-1921), bisneto da Princesa Isabel, a Redentora, e trineto do Imperador Dom Pedro II. Herdou de sua mãe, a Princesa D. Maria da Baviera de Orleans e Bragança, as tradições da família de Wittelsbach, a Casa Real da Baviera, uma das mais antigas da Europa, com origem no século IX, através de seu bisavô Gastão de Orleans, o Conde d'Eu, marido da Princesa Isabel.

Foi batizado na capela de Mas-Saint-Louis, de sua avó a Princesa D. Maria Pia de Bourbon-Sicílias de Orleans e Bragança. Foi registrado no Consulado Geral do Brasil em Paris. Com a deflagração, em 1939, da Segunda Grande Guerra, a Família Imperial ficou retida na França e impedida de transferir-se para o Brasil. Só após o término da guerra, pode Dom Luiz, então menino de sete anos, conhecer o Brasil. Fez os estudos secundário no Paraná, onde seu Pai se instalara como fazendeiro, e no Rio de Janeiro, no Colégio Santo Inácio.

A fim de aperfeiçoar o conhecimento de línguas, fez em Paris o Colégio pré-universitário. Concluiu seus estudos na Universidade de Munique, onde cursou Química. Durante os períodos de férias, viajou por toda a Europa, onde frequentava os círculos da mais alta nobreza européia, e os meios universitários alemães, italianos e franceses. Retornado ao Brasil em 1967, passou a residir em São Paulo, onde assumiu a direção do Secretariado de seu Pai, já então residente na sua propriedade rural em Vassoura, no Estado do Rio de Janeiro. Com o falecimento de Dom Pedro Henrique, em 5 de julho de 1981, Dom Luiz ascendeu à condição de Chefe da Casa Imperial do Brasil.

Para cumprir as responsabilidades que lhe advêm da Chefia da Casa Imperial, é assessorado por seu irmão Dom Bertrand de Orleans e Bragança, Príncipe Imperial do Brasil. Dom Luiz dedicou-se ao campo cultural e fez várias viagens pelo Pais. Tomou contato direto com os problemas de vários Estados do Brasil. Falando fluentemente três idiomas, o português, o francês e o alemão. Entendia ainda o castelhano, o inglês e o italiano. Dom Luiz teve sólida cultura, alicerçada em várias leituras, especialmente de assuntos históricos e sociológicos.

Seguindo o exemplo de seu Pai, mantem correspondência com amigos e admiradores de várias partes do Brasil. Nem todas as cartas que recebe, entretanto, exprimem uma tomada de posição explicitamente monárquica. Escrevem-lhe monarquistas ardorosos e dedicados, muitos deles jovens. Escrevem-lhe também amigos que, sem qualquer intuito político, gostam de cultivar as velhas relações de amizade e dedicação para com a Família Imperial.

Luiz Gastão Maria José Pio de Orleans Bragança e Wittelsbach é Grã-Mestre da Ordem da Rosa; Grã-Cruz da Ordem Constantiniana de São Jorge, da Casa Real de Bourbon-Sicílias; Grã-Cruz de Honra e Devoção da Soberba Ordem de Malta, e membro efetivo de diversos institutos culturais.

Veja também as biografias de:

Última atualização: 18/09/2012