Winston Churchill

Político britânico
Por Dilva Frazão
Biblioteconomista e professora

Biografia de Winston Churchill

Winston Churchill (1874-1965) foi um importante político britânico. Foi primeiro ministro e exerceu destacado papel na derrota da Alemanha Nazista na Segunda Guerra Mundial.

Churchill esteve no centro de acontecimentos fundamentais de seu país e ficou conhecido como um dos maiores estadistas do século XX. Foi também jornalista e escritor. Recebeu o Prêmio Nobel de Literatura e a cidadania honorária dos Estados Unidos.

Winston Leonard Spencer Churchill nasceu na rica mansão em Blenheim, nas proximidades de Oxford, Inglaterra, no dia 30 de novembro de 1874.

Infância e juventude

Descendente de família nobre era filho do político Lord Randolph Churchill, e sobrinho do oitavo Duque de Marlborough (seu pai, não sendo primogênito, não herdou o título). Sua mãe Jenny Jerome era filha do proprietário do jornal americano New York Times.

Entre os dois e seis anos de idade, viveu em Dublin, época em que seu avô foi indicado vice-rei da Irlanda e levou seu pai como secretário.

Militar e Jornalista

De volta à Inglaterra, Churchill estudou no Harrow Scholl, em Londres. Em 1893 ingressou na Academia Militar de Sandhurst. Considerado oficial brilhante se formou em 1895, ano da morte de seu pai.

Em 1896 pediu licença ao exército e foi mandado para Cuba, onde exerceu as atividades de jornalista, escrevendo reportagens sobre a guerra da independência para o jornal Daily Graphic, de Londres.

No ano seguinte, o jornal o enviou para a Índia e suas reportagens sobre as operações em Malakand, região fronteiriça com o Afeganistão, despertaram enorme interesse no Reino Unido.

Reintegrado ao exército, participou de uma série de operações militares na Índia, na repressão de tribos que se rebelavam contra o domínio inglês. Em 1898 foi enviado para o Sudão como oficial da 21.ª Divisão de Lanceiros, e correspondente do Morning Post na luta contra o Reino dos Dervixes - federação religiosa que se opunha aos britânicos.

Ao retornar à Inglaterra candidatou-se a deputado pelo distrito de Oldham, mas perdeu as eleições. Em 1899, retornou às atividades jornalísticas e seguiu para a África do Sul, onde caiu prisioneiro dos bôeres - colonos holandeses que entraram em guerra contra a Inglaterra.

Depois de uma fuga cheia de peripécias, os bôeres põem sua cabeça a prêmio, mas Churchill conseguiu fugir e atingir as linhas britânicas.

Carreira política

Em 1900, Winston Churchill foi eleito para a Câmara dos Comuns, como deputado do Partido Conservador. Em 1904 abandonou os conservadores e uniu-se aos liberais.

Em 1906 foi nomeado subsecretário das colônias britânicas. Começou defendendo a conciliação com os bôeres. Nesse cargo, apoiou também o “home rule”, denominação dada ao regime de autonomia pleiteado pelos irlandeses para seu país.

No governo liberal de Herbert Henry Asquith, Churchill ocupou sucessivamente as pastas do Comércio e do Interior. Nessa última, adotou uma série de medidas de proteção social e apoio às classes trabalhadoras.

Em 1908, casou-se com Clementine Ogilvy Spencer, que junto com o marido personificaram a resistência inglesa. O casal teve cinco filhos.

Em outubro de 1911, Churchill foi nomeado o Primeiro-Lorde do Almirantado, ou seja, é o Comandante Supremo da Marinha. Logo aumentou o poderio naval britânico, convencido de que uma guerra na Europa seria inevitável.

Durante a Primeira Guerra Mundial, ele ordenou secretamente que as naves inglesas tomassem posição para o combate, ao mesmo tempo, mobilizou as reservas, apesar da oposição que lhe faziam os demais membros do Gabinete.

O fracasso da operação Dardanelos em 1915, da qual Churchill foi o principal organizador, obrigou-o a abandonar o posto de comandante.

Churchill afastou-se do cargo, mas não ficou longe da guerra. Apresentou-se como voluntário e serviu alguns meses como oficial no fronte francês. Depois, de voltar à Inglaterra, retornou à Câmara dos Comuns. No Parlamento, lutou pela criação de um ministério da aeronáutica. Em 1917 ingressou no governo de coalizão de Lloyd George como Ministro dos Armamentos.

Terminada a Primeira Guerra em 1918, a Inglaterra registrou 750 mil mortes. A Irlanda do Sul, católica, rompeu pouco a pouco seus laços com a Grã-Bretanha, enquanto a Irlanda do Norte, protestante, permaneceu ligada ao Reino Unido.

De 1919 a 1921 acumulou as funções de Ministro da Guerra e da Aeronáutica. Porém sua declarada hostilidade contra a Rússia bolchevista e o desejo de formar um governo de colisão provocou sua ruptura com o Partido Liberal.

Com a queda do Gabinete de Lloyd George, Churchill voltou à militância política tentando reeleger-se deputado, ao mesmo tempo que se entregou à literatura. Derrotado nas urnas por duas vezes, só voltou à Câmara dos Comuns em 1924. De volta ao Partido Conservador, foi nomeado Ministro das Finanças do Gabinete de Stanley Baldwin.

Sua gestão foi até 1929, e foi das piores. Tentando valorizar a libra, determinou uma série de medidas que provocaram terrível deflação monetária e uma crise econômica sem precedentes.  

Excluído do governo com a derrota dos conservadores. Churchill retomou a atividade literária, concluiu “A Crise Mundial”, escreveu algumas obras autobiográficas e a história de seu ancestral John Churchill.

Preocupado com o comunismo, Churchill proclamou sua simpatia por Benito Mussolini e pelo fascismo posto em prática na Itália. Mas a ascensão do nazismo alemão e a aproximação de Mussolini e Adolf Hitler o fizeram mudar de ideia.

Segunda Guerra Mundial e a importância de Churchill

No início da Segunda Guerra Mundial, Churchill foi nomeado novamente primeiro Lorde do Almirantado. O conflito começou na Europa no dia 1 de setembro de 1939, quando a Alemanha invadiu a Polônia.

Dois dias depois, a França e a Inglaterra declaram guerra à Alemanha nazista, mas não conseguiram ajudar os poloneses. No início de 1940, os alemães invadiram a Dinamarca e a Noruega e, a 10 de maio atacam a Holanda, a Bélgica e a França.

Com a renúncia do primeiro ministro Chamberlain, Winston Churchill assumiu o comando britânico. Ocupou também o Gabinete de guerra e dedicou-se inteiramente a conseguir a vitória. Em seu primeiro discurso, diante dos comuns, pronunciou uma frase que se tornaria famosa:

“Nada tenho a oferecer senão sangue e trabalho, suor e lágrimas.”

Churchill
Churchill e o V da vitória

O “V” da vitória marcou todas as aparições públicas de Churchill. Foi o símbolo adotado pelos aliados (Inglaterra, França, União Soviética e Estados Unidos) na Segunda Guerra Mundial.

Convencido de que essa vitória só seria possível com a ajuda dos Estados Unidos, em 1941 reuniu-se com o presidente americano Franklin Delano Roosevelt e assinaram a Carta do Atlântico.

Churchill
Churchill e Delano Roosevelt

A França foi invadida e a Inglaterra lutou praticamente sozinha até o dia 22 de junho de 1941, quando os alemães atacam a Rússia.

Apesar de feroz inimigo dos comunistas, Churchill não hesitou em aliar-se à URSS de Stalin. E da mesma forma apoiou a luta de Tito contra os alemães na Iugoslávia.

Os acordos feitos com Roosevelt e Stalin também foram fundamentais para definir o fim da guerra, como a Operação Overlord, que resultou no dia D - o desembarque na Normandia, na França, e a abertura de uma nova frente de guerra, desestabilizando o exército alemão.

Depois da vitória dos Aliados, ele esteve presente nas conferências que decidiram os destinos da Europa. Depois da derrota dos conservadores nas eleições realizadas depois da guerra, Churchill cedeu seu lugar para Clement Attlee.

Últimos anos

Afastado do poder, Churchill não renunciou à política. Passou a defender a ideia de uma aliança entre o Reino Unido e os Estados Unidos, bem como a formação de um conselho europeu.

O último governo de Churchill com Primeiro-Ministro começou em 1951 depois da vitória dos conservadores nas eleições.

Em 1953, a rainha Elizabeth II concedeu-lhe o título da Ordem da Jarreteira. Nesse mesmo ano recebeu o Prêmio Nobel de Literatura.

No dia 5 de abril de 1955, retirou-se da vida pública. Passou seus últimos anos de vida se dedicando à literatura e à pintura. 

Winston Churchill faleceu em Londres, Inglaterra, no dia 24 de janeiro de 1965.

Obras de Winston Churchill

  • The World Crisis (1923)
  • Minha Mocidade (1930)
  • Grandes Homens do Meu Tempo (1937)
  • Tis Was Their Finest Hour (1940)
  • Sangue Suor e Lágrimas (1940)
  • Memórias da Segunda Guerra Mundial (1948)
  • Triumph and Tragedy (1953)
  • História dos Povos de Língua Inglesa (1956)

Frases de Winston Churchill

"O pessimista vê dificuldade em cada oportunidade; o otimista vê oportunidade em cada dificuldade."

"Uma mentira dá uma volta inteira ao mundo antes mesmo de a verdade ter oportunidade de se vestir."

"Todas as grandes coisas são simples. E muitas podem ser expressas numa só palavra: liberdade, justiça, honra, dever, piedade e esperança."

"É preciso coragem para se levantar e falar, mas também é preciso coragem para sentar e calar."

"A desvantagem do capitalismo é a desigual distribuição das riquezas; a vantagem do socialismo é a igual distribuição das misérias."

"Os problemas da vitória são mais agradáveis do que aqueles da derrota, mas não são menos difíceis."

"É bom ter livros de citações. Gravadas na memória, elas inspiram-nos bons pensamentos."

Dilva Frazão
É bacharel em Biblioteconomia pela UFPE e professora do ensino fundamental.
Veja também as biografias de:
  • Boris Johnson (1964) é um político britânico, foi Primeiro-ministro do Reino...
  • Tom Holland , conhecido por atuar na saga do super-herói Homem Aranha, é um at...
  • Joseph John Thomson (1856-1940) foi um físico britânico. Descobriu o elétron...
  • Arthur Conan Doyle (1859-1930) foi um escritor e médico britânico, autor das...
  • C. S. Lewis (1898-1963) foi um escritor, professor e crítico literário irland...
  • Anthony Giddens (1938) é um sociólogo, conferencista e professor britânico, r...
  • Bertrand Russell (1872-1970) foi o mais influente filósofo britânico do sécul...
  • Aleister Crowley (1875-1947) foi um escritor e mago ocultista britânico...
  • Elton John (1947) é um cantor, compositor, pianista e produtor inglês, um dos...
  • Joseph Conrad (1857-1924) foi um escritor britânico, mais conhecido pelas obr...