Guimarães Júnior

Poeta brasileiro

Biografia de Guimarães Júnior

Guimarães Júnior (1845-1898) foi um poeta, romancista, teatrólogo e diplomata brasileiro. Sua obra poética mais conhecida é “Visita à Casa Paterna”. Foi membro fundador da Academia Brasileira de Letras.

Luís Caetano Pereira Guimarães Júnior, conhecido como Guimarães Júnior, nasceu no Rio de Janeiro, no dia 17 de fevereiro de 1845. Filho do Português Luís Caetano Pereira Guimarães e da brasileira Albina de Moura realizou seus primeiros estudos o Rio de Janeiro. Ingressou no Colégio Pedro II e depois seguiu para São Paulo onde iniciou o curso preparatório.

Em 1862, com 16 anos, publicou o romance “Lírio Branco” dedicado a Machado de Assis. Recebeu de Machado, uma carta, incentivando-o a prosseguir na carreira literária. Em 1864 transferiu-se para o Recife e ingressou na Faculdade de Direito, onde foi colega de Tobias Barreto e de Castro Alves.

Carreira Literária

Ainda no Recife, Guimarães Júnior assistiu o desenvolvimento da Escola Condoreira – a terceira geração da poesia romântica, mais voltada para os problemas sociais, onde a maior expressão foi Castro Alves, e com uma nova forma de tratar o tema amoroso.

Em 1869, depois de formado, Guimarães Júnior voltou para o Rio de Janeiro, quando desenvolveu intensa atividade literária com a redação de contos, poemas e comédias, e colaborando com diversos jornais. Nesse mesmo ano, publicou seu primeiro livro de poemas, “Corimbos” (1869).

Posteriormente, já exercendo a carreira diplomática, seus poemas de inspiração romântica já mostravam características do Parnasianismo, uma poesia que buscava a “perfeição” na construção de rimas e da métrica.

Suas obras dividem-se em três gêneros:

Poesia

  • Corimbos (1869)
  • Noturnos (1872)
  • Sonetos e Rimas (1880)

Romance

  • Lírio Branco (1862)
  • A Família Agulha (1870)
  • Filigranas (1872)
  • Contos Sem Pretensão (1872)

Teatro

  • Uma Cena Contemporânea (1802)
  • As Quedas Fatais
  • André Vidal
  • As Joias Indiscretas
  • Um Pequeno Demônio
  • O Caminho Mais Curto
  • Os Amores Que Passam
  • Valentina

De sua obra poética, a de maior destaque é o poema:

        Visita à Casa Paterna (1876)

Como a ave que volta ao ninho antigo,
Depois de um longo e tenebroso inverno,
Eu quis também rever o lar paterno,
O meu primeiro e virginal abrigo.

Entrei.  Um gênio carinhoso e amigo,
O fantasma talvez do amor materno,
Tomou-me as mãos — olhou-me grave e terno,
E, passo a passo, caminhou comigo.

Era esta sala… (Oh! se me lembro! e quanto!)
Em que da luz noturna à claridade,
Minhas irmãs e minha mãe…   O pranto

Jorrou-me em ondas…  Resistir quem há de?
Uma ilusão gemia em cada canto,
Chorava em cada canto uma saudade.

Carreira Diplomática

Em 1873, Guimarães júnior inicia a carreira diplomática, quando o poeta e amigo Pedro Luís, ministro dos Negócios Estrangeiros, lhe oferece o cargo de secretário da Legação brasileira em Londres. Serviu também no Chile, na Venezuela, em Roma, Veneza e Portugal.

Guimarães Júnior permaneceu na carreira diplomática até 1894, quando se aposenta e se transfere para Lisboa, onde fez vários amigos, entre eles, Ramalho Ortigão, Eça de Queiroz, Guerra Junqueiro e Fialho de Almeida.

Guimarães Júnior faleceu em Lisboa, Portugal, no dia 20 de maio de 1898, deixando viúva D. Cecília Canongia, com quem se casou com 28 anos e teve quatro filhos.

Veja também as biografias de:

Última atualização: 14/12/2018

Possui bacharel em Biblioteconomia pela UFPE e é professora do ensino fundamental. Desde 2008 trabalha na redação e revisão de conteúdos educativos para a web.