Joseph Goebbels

Político alemão

Biografia de Joseph Goebbels

Joseph Goebbels (1897-1945) foi um político alemão. Ministro da Propaganda e da Informação Pública da Alemanha Nazista, foi um dos principais aliados de Adolf Hitler.

Paul Joseph Goebbels nasceu em Rheydt (hoje Mönchengladbach), na Alemanha, no dia 29 de outubro de 1897. Filho de uma família católica, seus pais desejavam que o jovem se tornasse padre. Um defeito físico nas pernas resultado de paralisia infantil o eximiu de se incorporar nas fileiras para lutar na Primeira Guerra Mundial (1914-1918).

Em 1921 se graduou em Filosofia Alemã pela Universidade de Heidelberg, mas sem conseguir emprego, passou a viver como escritor tentando publicar suas poesias, porém com pouco êxito. Paralelamente, alegando um caos político na Republica de Weimar e atraído pelo discurso nacionalista dos nazistas, em 1923, ingressou no Partido Nazista.

Joseph Goebbels teve uma rápida ascensão dentro do Partido Nazista e logo foi nomeado secretário pessoal de Gregor Strasser que representava o partido na Renânia e em Vestfália. Em 1925, tornou-se um dos editores do jornal de propaganda nazista. Em 1926 foi nomeado Gauleiter (líder da zona) de Berlim, posto em que mostrou suas habilidades como orador em uma série de campanhas locais.

Em 1928, Goebbels assumiu a liderança da máquina de propaganda do partido sendo também eleito para o parlamento. Nessa época, foi o responsável pelo uso da saudação “Heil Hitler”, o que colaborou para criar um culto em torno do “Führer”, considerado por ele como um de seus maiores feitos para propagar o seu líder. Em 1930 se tornou chefe da Divisão de Propaganda. Sua estratégia de propaganda regional se expandiu a nível nacional, o que o tornou um dos maiores estrategistas de manipulação de massas. A ele é atribuída a famosa frase: “Uma mentira contada mil vezes se torna verdade”.

Joseph Goebbels ficou célebre não só por sua genialidade no campo da propaganda política, mas também por seu ódio aos judeus, como expressou em um discurso raivoso na Sportspalatz em 1933. Com a chegada de Hitler ao cargo de Chanceler, o Doutor Goebbels, como era conhecido, foi nomeado Ministro da Propaganda e da Informação Pública da Alemanha Nazista. Passou então a controlar diversos setores da vida cultural da Alemanha.

Goebbels criou a Câmara de Cultura da Alemanha Nazista, quando através de um requerimento buscava a ancestralidade ariana, com a intenção de banir os judeus das atividades culturais. Combateu todos os autores considerados contrários aos princípios nazistas. Organizou grandes fogueiras onde queimou obras de escritores liberais, pacifistas e socialistas.

Com a eclosão da Segunda Guerra Mundial (1939-1945), sua atividade ganhou considerável importância ao procurar manter alta a moral do exército e do povo alemão ao longo do conflito, como também justificar as atrocidades cometidas pelo regime. Em 1941 influenciou Hitler a romper o pacto que assumiu com Stalin e invadiu a União Soviética. Com a derrota alemã em Stalingrado, em 1943, Goebbels exigiu um esforço total da população, estabelecendo uma jornada de trabalho de 60 horas por semana e restringiu as atividades ligadas à educação e lazer.

Em 1944, após o atentado fracassado contra Hitler, organizado por um grupo de oficiais insatisfeitos com o andamento da guerra, Goebbels assumiu o controle militar em Berlim, tornando-se ao lado de Himmler, o líder do partido, um dos homens mais poderosos da Alemanha Nazista.

Quando as tropas anglo-americanas e soviéticas fecharam o cerco sobre a Alemanha, quando os tanques soviéticos já rodavam pelas ruas de Berlim, em abril de 1945, Goebbels, sua esposa e os seis filhos se refugiaram em um bunker de Hitler em Berlim. Por fim, depois do suicídio de Hitler, Goebbels envenenou os seis filhos antes de se suicidar junto com sua esposa Magda.

Joseph Goebbels morreu em Berlim, Alemanha, no dia 1 de maio de 1945. Seu corpo e o de sua esposa foram queimados próximo à Chancelaria do extinto Terceiro Reich.

Veja também as biografias de:

Última atualização: 30/10/2017