Émile Zola

Escritor francês

Biografia de Émile Zola

Émile Zola (1840-1902) foi um escritor e jornalista francês. O criador do romance "experimental", que desejava que sua obra modificasse a sociedade.

Émile-Edouard-Charles-Antoine Zola (1842-1902) nasceu em Paris, França, no dia 2 de abril de 1840. Filho do engenheiro italiano François Zola, e da francesa Émilie Aubert. Em 1843 a família se muda para Aix-em-Provence, no sul da França. Em 1847 fica órfão de pai e junto com a família passa por dificuldades financeiras. Em 1858 volta com a mãe para Paris, e no ano seguinte ingressa no liceu Saint-Louise, mas abandona os estudos e influenciado pelo romantismo começa a escrever contos e poemas para diversos jornais.

Em 1862 começa a trabalhar na editora Hachette, onde publica suas primeiras crônicas literárias. Nos artigos sobre política, não poupava críticas a Napoleão. Em 1864 publica uma coleção de novelas: “Les Contes à Ninon”. Em 1865 publica seu primeiro romance, de inspiração autobiográfica, “La Confession de Claude”. Em 1867 publica “Thérese Raquin”, inaugurando o romance naturalista.

Em 1868, consciente da dificuldade de conferir um caráter científico a uma obra de ficção, Émile Zola prende-se à realidade, baseada na observação, e inicia a obra “Les Rougon Macquart”, uma história natural e social de uma família no Segundo Império, que reuniu vinte volumes de cunho realista-naturalista. A obra é uma visão crítica da sociedade e traça uma evolução genealógica dos Rougon e Macquart ao longo de cinco gerações, onde mais de mil personagens fazem parte de intrigas, invejas e ambições. O primeiro volume “La Fortune des Rougon” foi publicado em 1871.

O romance “Germinal” (1885), o décimo terceiro da série, e o de maior destaque, descreve com grande realismo as péssimas condições de vida dos trabalhadores de uma mina de carvão na França. O último livro da série “Le Docteur Pascal” só foi publicado em 1893.

Em 1898, Émile Zola se envolveu em um caso político de grande repercussão ao defender, em público, o oficial do exército francês, Alfred Dreyfus, num caso de traição. Por ter acusado o comando militar de ter forjado as provas de acusação, foi perseguido e teve que se refugiar na Inglaterra.

Preocupado em escrever a realidade com exatidão absoluta em suas descrições, e sempre denunciando os grandes problemas e injustiças sociais de sua época, Émile Zola publica mais dois romances “As Três Cidades” (1894-1898) e “Os Quatro Evangelhos” (1899-1902).

Émile Zola e sua mulher morreram em circunstâncias misteriosas, asfixiados por monóxido de carbono enquanto dormiam. Surgiram especulações de que teriam bloqueado a chaminé de seu apartamento para matá-lo.

Émile Zola faleceu em Paris, França, no dia 29 de setembro de 1902.

Biografias Relacionadas

Última atualização: 28/10/2015