William Gilbert

Físico inglês

Biografia de William Gilbert

William Gilbert (1544-1603) foi um físico, pesquisador e médico inglês. Tornou-se importante por seus trabalhos sobre magnetismo e eletricidade.

William Gilbert (1544-1603) nasceu em Calchester, no Essex, Inglaterra, no dia 24 de maio de 1544. Iniciou seus estudos em escola de sua localidade. Em 1558 ingressou no curso de Medicina, no St. John’s College, de Cambridge, onde permaneceu durante onze anos. Dedicou-se mais às disciplinas científicas, nas quais revelava grande aptidão. Concluiu o curso de Medicina em 1560. Obteve o mestrado em 1564 e o doutorado em 1569.

Depois de formado, realizou uma longa viagem pela Europa. Na Itália, esteve em Pisa, onde exerceu a profissão de médico e manteve contato com alguns estudiosos, com os quais, mais tarde, manteve correspondência. Em Veneza fez amizade com o teólogo Paolo Sarpi. Retornou a Londres em 1573. Inscreveu-se no Colégio Real de Médicos, onde mais tarde viria a ocupar os cargos de censor, tesoureiro e presidente. Em 1589 tornou-se membro do comitê para redação da “Pharmacopaeia Londoniensis”, publicada só em 1618. Tornou-se médico da rainha Elizabeth I.

William Gilbert, apesar de ter atingido grande prestígio como médico, e ser convidado para trabalhar como o médico exclusivo da Rainha Elizabeth I, entrou para a história por suas pesquisas do magnetismo e da eletricidade. Em 1960, William Gilbert publicou seu principal trabalho, o tratado “De Magnete, Magneticisque Corporibus et de Magno Magnete Tellure – Physiologia Nova”, onde reúne mais de seiscentas experiências, de antigos pesquisadores e as experiências realizadas pelo próprio Gilbert, onde compara as forças elétricas e as magnéticas.

Willian Gilbert classificou como materiais elétricos todos aqueles que se podem eletrizar por fricção, e materiais não elétricos, aqueles que não possuem essa propriedade. Foi o primeiro pesquisador a chamar de “polos”, as extremidades da agulha magnética que ficam dirigidas para o norte e para o sul da Terra. Classificou como materiais magnéticos os corpos, que como os imãs, se atraem. Descobriu as afinidades e diferenças entre corpos elétricos e corpos magnéticos. Descobriu que qualquer material pode se tornar elétrico, mas só os compostos de ferro permitem a magnetização. Atualmente, sabe-se que o cobalto e o níquel também possuem propriedades magnéticas.

Realizou importantes pesquisas a respeito do magnetismo da Terra. Fazendo uso de um imã esférico, que chamou de “terrella”, sobre o qual apoiou uma agulha, estudou suas propriedades e concluiu que correspondiam às da Terra. Concluindo então, que a Terra era um grande imã. Explicou a direção norte-sul da agulha magnética e também a sua inclinação.

William Gilbert faleceu em Londres, Inglaterra, no dia 30 de novembro de 1603.

Veja também as biografias de:

Última atualização: 30/04/2016