Sêneca

Filósofo e escritor romano

Biografia de Sêneca

Sêneca (4 a.C. - 65) foi um filósofo, escritor, mestre da retórica e estadista romano. Foi o principal representante romano do estoicismo.

Lucius Annaeus Sêneca (4 a.C. - 65) nasceu em Córdoba, na Espanha, durante o Império Romano. Filho do célebre professor de retórica Lucius Annaeus Séneca (o Velho) recebeu em Roma, primorosa educação, onde estudou retórica e filosofia. Após uma viagem ao Egito, para tratamento da saúde, iniciou-se na política e na carreira Forense. Era chamado de Sêneca o Jovem.

Famoso intelectual e orador, logo entrou em choque com o imperador Calígula, ao discursar no foro criticando a instituição da escravidão e as desigualdades sociais, pondo a fraternidade e o amor como fundamento das relações entre os homens. Tal discurso provocou a ira do imperador que se sentiu ofendido e decidiu matá-lo. Sêneca foi salvo por uma das amantes de Calígula que argumentou sobre a saúde frágil do filósofo.

Em 41, com o assassinato de Calígula, sobe ao poder o imperador Cláudio. Nesse mesmo ano Sêneca é acusado de adultério com a princesa Julia Livilla, sobrinha do imperador, e exilado na ilha de Córsega, onde viveu oito anos. No exílio, estudou Ciências Naturais e Filosofia. Dedicou-se a escrever os três tratados intitulados “Consolação a Márcia, a Políbio e a Helvia”, onde se preocupou com os homens, propondo encontrar argumentos capazes de ajudá-lo a superar suas paixões, angústias e desordem da alma.

Com a intervenção de Julia Agripina, esposa do imperador, Sêneca volta para Roma em 49, e no ano seguinte se torna pretor. Casa-se com Pompeia Paulina e constitui um grupo de amigos, e torna-se tutor de Nero, futuro imperador romano. Com a morte de Cláudio, em 54, Nero é nomeado imperador e Sêneca torna-se seu principal conselheiro e orientador político.

Em 59, decepcionado com os maus instintos de Nero e com a execução de Agripina, Sêneca resolve se retirar da vida pública. Em 62, passa a se dedicar a escrever e defender sua filosofia. Nesse mesmo ano escreve dois tratados: “Sobre a Brevidade da Vida” e “Sobre o Ócio”.

Sêneca deixou nove tragédias sobre temas mitológicos e uma sátira a respeito do endeusamento de Cláudio. Tornou-se conhecido por seus escritos em prosa, foram 124 cartas, um tratado científico intitulado “Problemas Naturais” e uma série de ensaios filosóficos. Tornou-se o principal representante romano do estoicismo.

No ano de 65, foi acusado de participar da conspiração de Piso, que teria planejado o assassinato do imperador, foi condenado ao suicídio, cortou os pulsos na presença dos amigos, sendo seguido por sua esposa que também se suicidou. Seu corpo foi incinerado sem qualquer pompa.

Biografias Relacionadas

Última atualização: 11/08/2016